domingo, 22 de junho de 2008

Carta.


Debaixo da porta foi deixada

dobrada em quatro partes

de tom bege amarelada

ali estava, aquela carta.


fiquei sem entender

com tanta tecnologia

pq um pedaço de papel?

quem escreveu, e pq ali deixou...


na cama me sentei,

e abri aquela cartinha...

letras de formas na cor azul

poucas palavras em poucas linhas.


"Tanto tempo se passou

e de vc n me esqueci

hj tive uma filha

e para ela seu nome escolhi.


vc nunca soube do meu amor

e nunca tive coragem de contar.

no parto perdi minha mulher

que fiz infeliz

por somente te amar".


3 comentários:

Cássio Amaral disse...

Amiga,

Tem hora que Renato Russo tem uns versos certeiros:

"A primeira vez é sempre a última chance"

Os amores que passaram são nosso crescimento. Nosso aprendizado. Fica o que foi bom, o que nos ensinou, o que aprendemos.

Boa semana. Muita luz e abração.

mauricio disse...

é uma história triste;mais me alegra muito ser apaixonado por um talento,muito bom vc e demais

paula barros disse...

Apesar de triste, bonito, amar, amar
beijos