terça-feira, 24 de junho de 2008

O antes e o depois.


Antes uma labareda...

depois uma brasa.

Antes um hino...

depois uma cantiga.

Antes uma louca...

depois uma demente.

Antes um furacão...

depois uma brisa.


Antes uma cachoeira...

depois um cactus.

Antes um desejo...

depois uma vontade.

antes um sonho...

depois um cochilo.


Antes um texto...

depois uma palavra.

Antes um labirinto...

depois um corredor.

antes uma lenda...

depois um conto.


...antes uma plantação...


...depois apenas um girassol...


8 comentários:

paula barros disse...

O antes e o depois dependendo do ponto de vista não é fácil, não é compreensível.
Mas ser um girassol, tem suas vantagens, ah, como tem.
abraços e um prazer estar aqui.

Layla Lauar disse...

Oi querida...acabei de ler seus três últimos poemas..todos muito belos...gostaria de ter mais tempo para poder lhe visitar com mais frequência, mas infelizmente não o tenho. Mas todas as vezes que venho, atualizo a leitura e é um prazer para mim. também sinto como se fóssemos amigas de vários anos. Bom, muito bom esse nosso encontro, ainda que só virtual, por enquanto...

Beijos mil procê,.

instantes e momentos disse...

obrigado pela visita e pelo teu comentário. Foi muito bom ainda saber que o texto serviu para voce.
Um beijo
Maurizio

Ravnos_Blacklotus disse...

E o que viria a ser depois, quando antes era o amor?
Creio que esta seja uma resposta muito relativa...
[Risos]
Espero que retorne a minha cripta mais vezes.
Um beijo e uma @},----

Ferina*izil* disse...

Obrigada por suas palavras, aproveitei e vim ver seu blog, além de muito bem estruturado, ele
é lindo e suas poesias contem belas palavras, e obrigada por incluir meu poema Você...Adeus
do meu outro blog,adorei a sua delicadeza
abraços e fique a vontande pode usar tudo que quizer do blog...
ehehe
Estou precisando de uma poeta para compor o quadro do Feras Feridas, se quizer fazer parte, me mande um
mail
(izilgallu@hotmail.com)
beijos.
izilda

Cassio Amaral disse...

Gostei do poema. Bacana.

Fernanda, a foto que vc não consegue ver é do céu, parece um OVNI, um disco voador,mas ao mesmo tempo parece uma mão. Tá escuro. Eu tirei do meu celular do céu. A outra do post de hoje é a luz entrando no meu quarto.

Abraço. Muita luz e saúde.

David disse...

Gostei muito do poema, muito realista até. E não tenho 15 anos, tenho 18, comecei a escrever o blog aos 15 lol :D Obrigada pelo comentário

Beijo

mauricio disse...

lindo poema,continue assim sua cabeça tem muito mais coisas legais,[coloca isso pra fora]e seja admirada por todos...bjs