sexta-feira, 6 de maio de 2011

Formigas


Acho que já cheguei ao topo,
ao máximo que eu poderia chegar.
Pra ser sincera, meu querido, aqui em cima
não tem nada de interessante.
As coisas boas, estão longe, parecem formiguinhas...
Aqui só tem paz, pelo menos isso,
mas aquele tipo de paz, que parece solidão,
que parece tristeza, que parece saudade...
Confesso que a subida com você foi bem divertida.
queria saber o momento exato em que te deixei pra trás.
suas pernas não conseguiram mais, e tive que terminar sem você.
Será que se eu voltar, ainda te encontro
no caminho que te deixei?
Eu devia ter ficado lá do seu lado.
Estou cansada, não quero descer agora.
Você está cansado, não consegue subir até aqui.
E a vida, e o tempo não se cansam de mudar nossas direções.

(Nanda Assis)

4 comentários:

Ingrid disse...

e mudam mesmo!!!.. nunca previsível..
beijos e bom final de semana.

Paula Barros disse...

Nanda, cada vez mais gosto da forma que você escreve, a imaginação e o sentir caminhando junto com as imagens.

E os ventos mudam ....

abraço

Max Psycho disse...

Caraca Nanda, tú tá mandando muito bem nos seus poemas, parabéns gata

Anônimo disse...

o cara ai ta certo ,vc manda muito bem mesmo ,,,uma pena que sao so letras bonitas ,porque no seu coraçao eu so vejo mentiras,,,talves foi por isso que eu nao quis subir com vc