sexta-feira, 24 de junho de 2011

Quem eu não sou mais.


Eu não sou mais tão moderninha,
como quando você me conheceu.
Eu não sento mais a beira de balcões,
Nem danço sozinha em casa.
Não grito as pessoas nas ruas,
não faço amor no banco do carro.
Não uso mais aquele estilo rock n roll
nem invento pratos inusitados.

Não tenho tantos amigos,
Nem tantas perguntas.
Não viajo mais de carona,
Nem uso telefone publico.
Parei de fumar,
de cantar em karaoke
de beber caipvodka,
e tbm de ler.

Mudei de casa, mudei de carro,
mudei de sonhos, mudei os planos,
mudei o rumo, mudei os panos.
mudei os porta retratos,
as cores preferidas,
mudei o status, mudei a familia,
mudei os segredos, o cabelo,
a cama de lugar, e a cor do olhar.
mudei minhas musicas,
meus meios, o numero do meu celular.
Mudei de frequência, de aparência,
mudei minhas carências, minhas paixões,
meu beijo, meu desejo, meu abraço que já
não é mais tão apertado...
Mudei meus conceitos, meus preconceitos,
tudo que eu sabia, o que eu fazia, o que eu temia,
onde me escondia.

Desaprendi a amar, a perdoar,
a fechar meus olhos, a aceitar.
Desaprendi a conquistar,
e seduzir, a sorrir por sorrir,
a chegar e depois partir.
Desaprendi a falar com as pessoas,
a olhar nos olhos, a fazer amigos.
Desaprendi a viver.

Deixei de ser quem eu era, mudei, desaprendi...
Mas de você, eu nunca esqueci.
Não sou boa com rimas...
Também não soube rimar eu e você.

(Nanda Assis)



10 comentários:

EU SOU NEGUINHA disse...

Lindona...
Vim deixar beijos em ti

Majoli disse...

Nanda querida, eu a cada linha de seu poema, fui me envolvendo, e cheguei a conclusão: também eu nunca soube rimar eu e certo alguém...
:(
Apesar de trites, ficou tão marcante seu poema.

Se cuide minha querida.
Beijos com carinho.

Paula Barros disse...

Nanda, estou impressionada com o seu poema. Acho até dá para ser cantado, virar uma música.

Bem, no seu estilo, de revelação, de confidência, de amor.

beijo

Ingrid disse...

mudamos por vezes,mas o que é essencial permanece..
beijos linda e bom findi!

. disse...

Muito bom, Nanda!

O amor nem sempre passa com o passar da vida.

Beijo,
I.

Solange Maia disse...

Nanda...

que bárbaro !!!

eu também não sou mais uma porção de coisas...

mas ainda amo vir aqui...

lida !!!

beijo carinhoso

Lu Dantas disse...

Mudanças, mudanças..

É o que preciso agora!

Gostei, viu!

Bjs

Um brasileiro disse...

oi moça. muito lindo aqui. gostei. apareça por la. beijos e abraços.

mundo azul disse...

________________________________


O seu poema é muito bonito!!! Mas, Nanda... O bom é mudar mesmo! As mudanças são sinais de evolução...


Beijos de luz e o meu CARINHO grande!


___________________________

Mauricio de oliveira disse...

volta pra mim e vamos ser felizes