quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Imprevisto.



Estou ás margens de um rio,
e vc do outro lado,
será preciso muito calma,
astúcia e fôlego pra atravessar essas águas
e te entregar essa carta que escrevi ontem
ouvindo Nando Reis.
Na carta tento te convencer que sou a melhor opção
pra curar a sua solidão, e te livrar um pouco, de tanta liberdade
que tem te sufocado e deixado sem ar.
Você sorri do outro lado, pensando como eu
vou conseguir chegar até vc, já que eu não sei nadar,
não tenho uma jangada e nem um colete sequer...
por medo de me arriscar, coloco a carta em uma garrafa
e lanço o mais longe que consigo...
Qnta inocência!!
A correnteza, leva a garrafa rio abaixo,
leva meus sentimentos, minhas propostas,
meus melhores argumentos...
vc abaixa a cabeça, vira as costas e vai embora.
E em outro lugar, dias depois, outro alguém
encontra a garrafa, lê meus sentimentos,
e aceita as minhas propostas, sem nunca ter me visto...
O amor é um grande imprevisto.

  (Nanda Assis)

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom,dou-lhe os parabéns, espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer sempre o seu melhor, dando-nos boas mensagens.
Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais,mas gostaria que não se sinta constrangido a seguir, mas faça-o apenas se desejar, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa encontrar o seu blog.
Deixo a minha benção e muita paz e saúde.