sexta-feira, 26 de abril de 2013

Homens.



Eu amo os homens,
como são simples, como são fáceis.
Amo a calma deles perante uma TPM,
amo a forma como vestem a primeira roupa
que vê na sua frente.
Amo como sabem nos agradar quando querem,
e amo o instinto animal deles, de conseguir
desejar tantas, mesmo tendo uma, com a chave do seu coração.
Amo qndo gritam Gol, e qndo falam baixinho
ao pé do ouvido.
Qndo dançam desengonçados, e como rebolam bem
entre quatro paredes.
Amo o sorriso safado que vem logo depois da mentira,
e o brilho dos olhos qndo dizem a maior verdade.
Amo a mão forte que trabalha, e a mão leve que faz carinho.
Como são descomplicados!!!
O mundo é deles!!
Eles são o sexo frágil... E tbm o forte!
São bons em matemática,
em química e principalmente em "física".
Divertida a forma como colocam apelidos feios nos amigos,
e apelidos fofos nas namoradas.
Eu invejo os homens,
eu admiro os homens,
eu não vivo sem eles.
Amor é uma palavra masculina.

(Nanda Assis)

2 comentários:

Fabrício Santiago disse...

Saudade desse cantinho, mas o bom filho a casa torna..rs
Delicado seu texto!
Aproveito pra avisar que acabo atualizar a acanhada Narroterapia com o segundo capitulo do conto Sempre Haverá Pássaros, e quero muito seus comentários.
abraços
Fabrício

MARILENE disse...

Foi objetiva no seu pensar (rss). Uma observação, no entanto, nos mostra toda a insegurança que está por trás dessa descomplicação. Bjs.