terça-feira, 2 de junho de 2015

Cedo

 

Eu tenho acordado cedo,
não gosto de perder as manhãs frias do mês de junho.
Eu gosto de ver o céu tomado por neblina,
enquanto tomo meu leite quente.
A fumaça deixa úmido meu rosto.
O sol fraco vai clareando o dia,
mas o frio permanece.
É gostoso, os olhos veem tudo envelhecido.
Sai fumaça pela boca.
Tudo é diferente,
o cheiro, o desejo, a saudade de sei lá o quê.
O amor devia ser como as manhãs de inverno,
que vão aos poucos se aquecendo,
na medida certa.
Tudo é mais lindo, e natural.
Amor eterno, é aquele
que nasce no inverno.

(Nanda Assis)

4 comentários:

brisonmattos disse...

Que poesia mais lindaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! Mas eu gosto de acordão tardão no inverno e curtir o finzinho do sol vermelho no final da tarde. rs

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Lindo seu poetar, Nanda.
Também gosto do inverno, me faz sempre sorrir.
Um abraço.

meus instantes e momentos disse...

saudades de sei lá o que...e quem não sente??

Ana Clara Alcantara disse...

Linda poesia
nada melhor que o tempo frio...