segunda-feira, 9 de maio de 2016

Queda livre




Eu gosto de ler o que já escrevi para você,
traz á tona alguns sentimentos.
Você foi a saudade mais sentida,
a ferida mais doída,
a lágrima que salgou o gosto que tinha de você
em minha boca.

Gosto de olhar nossas fotos,
traz a tona momentos que jamais voltarão.
Você foi a melhor canção que ouvi,
a dança de rosto colado que tirou meus pés do chão.
Você foi um furacão de amor.

Gosto de imaginar como seria se ainda estivesse aqui,
como estaria branca sua barba no meu pescoço.
Como estaria madura suas palavras em meu ouvido.
Como seria livre nossos abraços apertados.

Eu não penso mais em você como antes,
mas quando a recordação vem,
ele me derruba de um prédio de 120 andares.
Talvez a dor da chegada ao chão não seja tão forte,
mas o frio na barriga é o mesmo do dia em que te vi
parado na frente do meu carro.

Eu vi que era amor, quando você me mostrou
que a sua loucura podia ser maior que a minha.

(Nanda Assis)

Um comentário:

EU SOU NEGUINHA disse...

Quanto tempo nao passava aqui..
doce beijo