terça-feira, 9 de agosto de 2016

Viagem




As vezes dá vontade de fugir,
pra um lugar novo, com outro cheiro.
Encher o  tanque e sair sem muita pressa,
deixando que o destino me guie.
Colher flores nas estradas,
beber um café numa cidade qualquer,
pedir informação a um estranho,
como se eu soubesse onde quero chegar.
Mentir sobre quem eu sou,
dormir em qualquer lugar,
comprar lembranças como se eu fosse presentear,
As vezes uma mala só basta.
É preciso levar pouca bagagem,
de muito, só nossos sonhos.
Quando o peso dos erros nos incomodam as costas,
é preciso fugir, por aí, fugir de quem somos,
de quem fomos, e tentar encontrar um novo ser!
Fugir do eco que faz um coração vazio,
Fugir do barulho ensurdecedor de nossa mente...
As vezes o que nos cura,
é o silencio das estradas.

(Nanda Assis)

Um comentário:

brisonmattos disse...

Ah...nao fica triste. Nao gosto quando vc escreve essas coisas.